Blog

29
jun

I Fórum Comunitário de Juventude e Cultura da organização CEACRI

A juventude na cidade de Itapiúna, interior do Ceará, vem crescendo demograficamente com o passar dos anos. Juntos, os jovens representam a atual diversidade cultural do município que é a marca da cidade. Porém, a escassez de políticas públicas específicas para a juventude e cultura, nas mais diferentes esferas do poder, e a falta de uma participação efetiva das juventudes nas questões públicas do município, vem desenhando um quadro sensível e que demanda preocupação, pois torna o jovem vulnerável, o criminaliza, além de não assegurar direitos básicos para sua formação sociocultural-artística.
Não podemos esquecer que o jovem é sinônimo de revolução, acredita na mudança e pode fazer a diferença. A juventude nos move e não nos permite ficar parados ou calados e a não nos contentarmos com o presente. Afinal, queremos construir o futuro que desejamos.
E falar de Cultura e Juventude no município de Itapiúna é falar de tradição. Por muitos anos, Itapiúna – sede e distritos (Palmatória, Caio Prado e Itans) – foi conhecida por sua cultura diversificada. Rica em arte, dona de uma linda história, possuidora da segunda igreja mais antiga do estado, essa cidade sempre foi recanto de grandes artistas, a terra das pedras semipreciosas. Mas hoje, essas tradições estão fragilizadas, com manifestações culturais rígidas que não acompanharam o dinamismo do tempo, da globalização e da atual juventude.
Nesse sentido, a organização social parceira do ChildFund Brasil, Centro de Apoio à Criança – CEACRI e os jovens do grupo “A Voz da Juventude” – integrados à REJUDES – realizaram o I Fórum Comunitário de Juventude e Cultura do CEACRI. Um amplo espaço de diálogo aberto a toda comunidade itapiunense, com atores de vários setores para a criação de propostas para o fortalecimento das políticas públicas municipais no que diz respeito ao futuro da Juventude e Cultura Itapiunense.

O processo de criação do fórum partiu de um embasamento teórico curioso e muito importante. Logo que começou-se a trabalhar a bandeira Juventude e Cultura na REJUDES, os jovens realizaram, junto às suas comunidades, uma pesquisa de dez questões que buscaram mapear: problemas e potencialidades no que diz respeito à cultura e juventude, os principais multiplicadores de cultura, ou seja, pessoas e instituições que com suas ações diárias mostravam interesse em proliferar a boa cultura, mapear os diferentes gostares das pessoas e o que elas fazem em seus momentos de ociosidade, entre outros. Tal pesquisa norteou todo o desenvolvimento do Fórum, desde os convidados até a seleção dos eixos abordados.

O Fórum teve a seguinte organização:
• Credenciamento, identificando as pessoas e que setores elas representavam, suas idades e localidades;
• Momento de formação de mesa, recebendo as autoridades locais, desde os representantes da gestão pública, legislativo e educação ao setor do comércio, terceiro setor e classe artística
• Apresentações culturais como teatro, música e cordel. Nesse momento o mais interessante foi poder sentir a partilha entre os mais velhos e a juventude. Um dos auges dessa manhã, foi onde todos se emocionaram com o poema de Dona Auxiliadora Martins, uma das primeiras professoras da cidade, que declamou sua preocupação com a juventude, a cultura e a educação, retratando seus tempos de boneca e os medos de sua velhice.

Após muitos risos e choros, emoções fortes, foi chegado o momento de partilha entre os palestrantes e a plenária no qual pode-se debater sobre 3 eixos principais:

1. Juventude e Participação, tendo Samia Elen como palestrante, membro do Comitê Nacional da REJUDES, integrante da Jangada Literária de Fortaleza e do Conselho de Cultura do Estado;
2. Infraestrutura, orçamento, incentivo e investimentos (em cultura e juventude), tendo como palestrante o professor José Everardo, Ex Secretário Municipal de Cultura, de Finanças e um dos cidadãos mais respeitados da cidade;
3. Falando de Comunicação, informação e articulação cultural e juventudes, teve o Doutor em Filosofia, Professor Universitário e militante dos interesses da juventude municipal, professor Antônio Fernandes.

Após esse momento de estudo, no qual gerou-se uma mesa redonda sobre os assuntos, a plenária se dividiu em grupos que debateram os eixos separadamente e que após 60 minutos retornaram com propostas específicas para cada um deles. Isso facilitou ainda mais o diálogo construtivo e o compartilhamento de ideias sobre os eixos.

O Fórum foi muito importante para que todos sentissem os anseios dos jovens sobre diferentes questões relacionadas às políticas públicas para as juventudes e cultura do município de Itapiúna.

Tag: , , , ,

Este artigo foi escrito por ChildFund Brasil

Doação que transforma vidas!