Para apadrinhar, ligue: 0300 313 2003 Já é padrinho, ligue: 0300 313 0110

Child Fund Melhores ONGs para doar

PEV

Uma das principais diretrizes programáticas do ChildFund Brasil é construir o futuro ouvindo a voz das crianças. Aqui, você vai conferir, por meio de depoimentos, o que elas pensam sobre o contexto em que vivem, suas próprias vidas e seus sonhos para o futuro. Foi com base em uma profunda análise desse levantamento realizado juntos às crianças, assim como em estudos científicos, que foram desenvolvidos os conceitos de Privação, Exclusão e Vulnerabilidade (PEV), fundamentos do trabalho do ChildFund Brasil.

Entenda melhor esses conceitos e o que as crianças dizem sobre eles.

Privação

As situações de privação de crianças e adolescentes, no Brasil, são diversificadas.  Há insuficiente acesso a saneamento básico e serviços de saúde. O pouco acesso à renda familiar, agravado pelo desemprego e pela pouca qualificação profissional, dificulta o acesso à alimentação adequada e compromete a segurança alimentar de milhares de crianças. Elas ainda sofrem com condições inadequadas de moradia e sobrevivência nas periferias das regiões urbanas e em comunidades rurais distantes dos grandes centros.

A educação infantil também é penalizada pela oferta irregular de creche e pré-escola, infraestrutura deficitária e pouca qualificação dos educadores infantis. Adolescentes e jovens também sofrem com o despreparo curricular e a desmotivação dos professores, em função do pouco investimento e a valorização profissional.

A pouca participação sociopolítica de jovens, mulheres e famílias é enfraquecida pelos poucos espaços de reivindicação, pelo desconhecimento dos direitos constitucionais e de políticas públicas, agregada à cultura assistencialista e à pouca cooperação entre organizações locais para a mobilização social. O pouco envolvimento da sociedade em defesa e proteção dos direitos de crianças e adolescentes também contribui para a perenidade do sistema de privação no país.

"Para ir para escola, minha filha caminha três horas, e quando alguém fica doente, só Deus mesmo". Mulher da comunidade Covão (MG)

“Fico triste com a falta de emprego para mulheres". Mulher dacomunidade de Maria Nunes (MG)

“Fico triste com a falta de merenda e falta de capricho, a escola está toda suja”. Adolescente de 12 anos da comunidade de Tombadouro (MG)

“Temos muitos professores estressados. Também não tem livro, e eu gosto de ler”. Criança de 11 anos da comunidade Vila Padre Cícero (CE)

Exclusão

A exclusão social é vivenciada por crianças, adolescentes e jovens nos mais diferentes espaços sociais. O país tem reflexos culturais e comportamentais evidentes de exclusão como a discriminação em relação a renda, deficiência, racial e desigualdade de gênero, evidenciadas no mercado de trabalho, nas ocupações políticas e nas relações sociais.

A negação da cidadania enfrentada pelas crianças em situação de pobreza é revelada também no sistema educacional, ao serem excluídas da educação de boa qualidade, elemento fundamental para o desenvolvimento do país.

"A professora não gosta de negros, ela bota a gente lá atrás". Adolescente de 15 anos da comunidade Inhaí (MG)

"Fico triste com o preconceito racial e desemprego na comunidade". Adolescente de 16 anos dacomunidade Firmeza (CE)

"Fico triste com a falta de união na comunidade". Adolescente de 19 anos dacomunidade Datas (MG)

Vulnerabilidade

Nos primeiros anos de vida, as crianças brasileiras em situação de pobreza são extremamente vulneráveis às situações de abuso e violência, insegurança alimentar, desnutrição, negligência e falta de segurança. Esses problemas são agravados por desestrutura familiar, ausência da mulher no lar, em função do trabalho externo e abandono paterno, pois os pais migram para outras regiões em busca de oportunidades de trabalho.

As crianças também são desrespeitadas e desprotegidas quanto aos seus direitos, ao serem vítimas da exploração sexual, principalmente as meninas. Milhares ainda se encontram escravizadas por outras formas de trabalho infantil. Violações que comprometem a saúde física, psíquica e moral de sujeitos em processo de desenvolvimento.

Além disso, violência e criminalidade andam de mãos dadas no Brasil.O alvo principal são as crianças, os adolescentes e os jovens. Extremamente vulneráveis a exposição, consumo e tráfico de drogas, também são consumidores precoces de drogas lícitas, como álcool e cigarro. A criminalidade, além de colocar milhares de adolescentes em situação de privação de liberdade, também ceifa a vida de milhares de jovens no país.

"Fico triste quando minha mãe sai e me deixa sozinho". Criança de 6 anos da comunidade Covão (MG)

"Meu pai abandonou a casa por causa da minha mãe". Criança de7 anos da comunidade Muriti (CE)

"Se você não é respeitado em casa, imagina o resto". Adolescente de 17 anos da comunidade Mão Torta (MG)

"Eu bebo cerveja com minha mãe, eu gosto de beber". Criança de 6 anos da Vila Padre Cícero (CE)

Para apadrinhar, ligue: 0300 313 2003
Já é padrinho, ligue: 0300 313 0110

Transparência

Solidez, transparência e integridade são os pilares que compõem a governança do ChildFund Brasil. Nos preocupamos em utilizar com eficiência todos os recursos que nos são confiados pelos doadores e atualizar em nosso site periodicamente, relatórios, demonstrações contábeis e reconhecimentos sociais obtidos sob os mais diversos temas relacionados ao nosso trabalho no país.

Saiba mais

Nossos números

No Brasil

  • 123 mil pessoas aproximadamente participam de nossos projetos.

  • Mais de 40 mil crianças, adolescentes e jovens beneficiados

  • Mais de 40 organizações sociais parceiras

No Mundo

  • 20 milhões de pessoas beneficiadas

  • Faz parte de uma rede presente em Mais de 60 países