Para apadrinhar, ligue: 0300 313 2003 Já é padrinho, ligue: 0300 313 0110

Child Fund Melhores ONGs para doar

Pesquisa Global Revela que Crianças Valorizam a Educação Apesar dos Grandes Obstáculos para Aprender

15/11/2016
Advocacy

As crianças ao redor do mundo consideram a educação uma prioridade, independentemente das circunstâncias ideais para aprender. De acordo com a pesquisa feita pelo ChildFund Alliance com mais de 6.000 crianças entre 10 e 12 anos em 41 países, 98 por centro dos entrevistados disseram que a educação é importante para elas. No entanto, os achados também mostram que a aprendizagem não é acessível ou segura como deveria ser. Mais de um terço das crianças entrevistadas, incluindo X% de (nome do país membro da Alliance), disseram que se sentem inseguras na escola as vezes ou o tempo todo. Elas também disseram que são necessárias mais e melhores escolas.

 

Preocupações adultas; otimismo infantil

"A pesquisa Pequenas Vozes, Grandes Sonhos revela que muitas das crianças entrevistadas acreditam que a sua educação precisa melhorar", disse Meg Gardinier, Secretária Geral do ChildFund Alliance. "Elas estão preocupadas com questões que vão desde instalações inseguras, procedimentos para desastres e interrupção das aulas, até armas, drogas e Bullying nas escolas. Estas não são questões com as quais as crianças deveriam lidar. As escolas devem ser para aprender, não para ter medo da sua segurança pessoal".

 

A boa noticia é que apesar destas preocupações, as crianças adoram aprender. "Aprender coisas novas" é a resposta número 1 para 47 por cento dos entrevistados quando perguntados o que gostam mais da escola. Isto é seguido por "trabalhar com professores" (29 por cento) e "estar com amigos" (26 por cento). E, nessa pouca idade, as crianças sabem que a educação é a chave para seu futuro. Quase metade dos entrevistados (45 por cento) dizem que a educação pode ajudá-las a conseguir um emprego melhor, enquanto quase um quarto dos entrevistados tem certeza que a educação lhes fará uma pessoa melhor. Outras acreditam que a escola as preparará a cuidar dos pais (17 por cento) ou ajudará a melhorar seu país (17 por centro).

 

Crianças querem se sentir seguras na escola

Quando perguntadas o que significa estarem seguras na escola, as crianças mencionaram uma variedade de fatores. Elas incluem instalações de alta qualidade, sentir-se livres de violência ou abuso, ter medidas fortes de segurança no lugar e aprender com professores que os alunos confiem e respeitem. No entanto, 34 por cento dos entrevistados dizem que a sua escola é nunca ou somente as vezes segura. Surpreendentemente, estes numeros não mudam entre países em desenvolvimento ou desenvolvidos. Quando perguntaram sobre soluções, 43 por cento de todos os entrevistados disseram que se sentiriam seguros na escola se medidas de segurança existissem para manter os alunos protegidos contra danos.

 

"O fato de que muitos não se sentem seguros na escola é de grande preocupação, pois a segurança é um pré-requisito para aprender", disse Meg Gardinier. "Os líderes do mundo reconhecem a importância de uma educação significativa e segura quando adotaram o Objetivo #4 de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas em setembro de 2015: "Assegurar educação de qualidade, inclusiva e equitativa, e promover oportunidades de aprendizagem para a vida toda para todos".

 

Uma alta qualidade em instalações e professores

O ChildFund Aliance perguntou a crianças o que elas fariam para melhorar a educação se elas fossem o líder do seu país. Quase a metade (47 por cento) construiriam e reformariam as instalações das escolas e criariam ambientes de aprendizagem de alta qualidade, enquanto 24 por centro focaria na qualidade do ensino contratando mais pessoal, pagando-lhes bem e oferecendo mais treinamento.

 

Para crianças de alguns países, oferecer maior ajuda financeira para as escolas e alunos é a primeira prioridade.

 

Trabalho versus Escola

Muitas das crianças entrevistadas para Pequenas Vozes, Grandes Sonhos sentem-se divididas entre a família e as obrigações escolares. A maior preocupação nos países em desenvolvimento do que naqueles desenvolvidos, é a restrição de atividades infantis no mundo.

Um quarto de todos os entrevistados (26 por cento) diz que desistiu da escola para ajudar sua família com trabalho. Em países em desenvolvimento, o número sobe para 31 por cento, contra 8 por cento em países desenvolvidos.

 

Apesar dos desafios, progresso encorajador

 

"Nós somos encorajados porque quase todas as crianças reconhecem a importância da educação", disse Meg Gardinier. "Enquanto alcançar uma educação inclusiva e equitativa de qualidade para todos parece ambicioso, temos tido muito progresso. O número de crianças e jovens que não freqüenta a escola caiu quase pela metade desde a virada do século e em quase todos os países agora existem tanto meninos quanto meninas freqüentando o ensino fundamental.

 

"O ChildFund Alliance tem o compromisso de fazer tudo o que pudermos para oferecer uma educação segura e de qualidade para crianças do mundo todo".

 

Para baixar o relatório Pequenas Vozes, Grandes Sonhos, visite <inserir link>.

Participe da conversação com hashtag#SmallVoices.

 

- 30 -

Para mais informação, por favor, contate:

(INSERIR MEDIA CONTACT)

(TELEFONE)

(EMAIL)

 

Sobre a pesquisa de Pequena Vozes, Grandes Sonhos

A pesquisa de Pequenas Vozes, Grandes Sonhos foi conduzida por organizações membro da ChildFund Aliance em maio de 2016. Em países em desenvolvimento, o pessoal das organizações membro conduziu entrevistas com cada uma das crianças no seu idioma local. Em alguns países, as crianças completaram a pesquisa on-line. Em países em desenvolvimento, os participantes são de programas comunitários onde um membro das organizações ChildFund têm programas de desenvolvimento sustentáveis e em países desenvolvidos, as crianças foram selecionadas aleatoriamente.

 

Todas as respostas não escritas em Inglês foram traduzidas pelas organizações membro da ChildFund Alliance. Enquanto todos os esforços foram feitos para preservar a autenticidade das respostas das crianças apresentadas em este relatório, pouca edição pode ter ocorrido na tradução.

 

A pesquisa foi conduzida em 41 países com crianças entre 10 e 12 anos. Isso inclui 31 países em desenvolvimento na África, Ásia e as Américas, como em 10 países desenvolvidos. Um total de 6,226 crianças foram entrevistadas -- 3,658 crianças em países em desenvolvimento e 2,568 crianças em países desenvolvidos.

 

Duas das cinco perguntas foram questões abertas, o que significa que as crianças não receberam uma lista de respostas para escolher. As outras perguntas ofereceram respostas de múltipla escolha para as crianças. Todas as respostas traduzidas foram entregues a GFK Roper para análise.

 

Respostas de cada país foram pesadas para oferecer uma voz igual para todas as crianças que participaram na pesquisa Pequenas Vozes, Grandes Sonhos de 2016.

 

Sobre o ChildFund Alliance

 

O ChildFund Alliance é uma rede global de 11 organizações focadas no desenvolvimento infantil que trabalha em mais de 60 países ao redor do mundo. Com um volume de negócios anual de US$500 milhões, o ChildFund Alliance ajuda a um número estimado de 15 milhões de crianças e suas famílias para superarem a pobreza

Para apadrinhar, ligue: 0300 313 2003
Já é padrinho, ligue: 0300 313 0110

Transparência

Solidez, transparência e integridade são os pilares que compõem a governança do ChildFund Brasil. Nos preocupamos em utilizar com eficiência todos os recursos que nos são confiados pelos doadores e atualizar em nosso site periodicamente, relatórios, demonstrações contábeis e reconhecimentos sociais obtidos sob os mais diversos temas relacionados ao nosso trabalho no país.

Saiba mais

Nossos números

No Brasil

  • 123 mil pessoas aproximadamente participam de nossos projetos.

  • Mais de 40 mil crianças, adolescentes e jovens beneficiados

  • Mais de 40 organizações sociais parceiras

No Mundo

  • 20 milhões de pessoas beneficiadas

  • Faz parte de uma rede presente em Mais de 60 países