Como as ONGs apoiam na superação do ciclo da pobreza

Combater o ciclo da pobreza é o maior desafio da sociedade mundial. No Brasil, por exemplo, 52,7 milhões de pessoas vivem em situação de pobreza ou em extrema pobreza, segundo dados do Atlas da Pobreza no Brasil, do Núcleo de Inteligência Social (NIS), criado em parceria pelo ChildFund Brasil e a Puc Minas. Isso significa a soma de todos os habitantes de países como Coréia do Sul, Espanha e Colômbia.

Uma criança ou adolescente que nasce em situação de pobreza ou extrema pobreza enfrenta inúmeros desafios para superar sozinho essa condição externa. Quando há pobreza multidimensional, ou seja, quando o indivíduo atende uma determinada escala de privação de renda e de direitos essenciais básicos e, além disso, se encontra em situação de vulnerabilidade (saiba mais no artigo), o desenvolvimento da criança e do adolescente é amplamente afetado. Quando não é possível ter acesso a  todas as oportunidades e direitos que lhes são assegurados pelo ECA, essas crianças e adolescentes podem ter as suas vidas adultas também impactadas.

Para transformar esse círculo negativo em positivo e para reduzir a desigualdade e pobreza, deve-se ter uma atenção maior para com a infância. Mas a luta é sobre mais do que acesso a melhores condições financeiras: é preciso também que tenham acesso aos direitos básicos assegurados pelo artigo 6º da Constituição Federal: educação, saúde, alimentação, trabalho, moradia, transporte, lazer, segurança, previdência social, proteção à maternidade, infância e também à assistência aos desamparados.

Quando esses direitos essenciais não são cumpridos, o indivíduo pode ser contemplado com ações sociais que buscam a reparação da privação dessas garantias. Diante disso, o trabalho das ONGs (Organizações Não Governamentais) tem fundamental importância no desenvolvimento social de qualquer cidadão.

 

O papel das ONGs
 

As Organizações Não Governamentais são instituições que não têm fins lucrativos e realizam ações solidárias de diversos tipos, para públicos específicos. Elas podem atuar nas áreas de saúde, educação, economia, ambiente, assistência social, entre outras, e em âmbito local, estadual, nacional e até internacional.

Essas instituições chegam a locais em que as pessoas não possuem acesso ao que têm direito, por isso contam com a colaboração tanto da esfera pública quanto de instituições privadas. Afinal, é por meio dessas organizações que muitos têm a possibilidade de conhecerem uma realidade diferente da que vivem, a realidade proporcionada pelo ciclo da pobreza.

O ChildFund Brasil atua no desenvolvimento infantil desde 1966 com programas, projetos e tecnologias que são trabalhados conforme a realidade das crianças, adolescentes e jovens que estão em situação de privação, exclusão ou vulnerabilidade social.

Viver em privação significa viver à margem da sociedade e enfrentar dificuldade de acesso a direitos básicos como saúde, alimentação, água potável, educação, etc. Tal situação pode ou não estar atrelada à falta de recursos financeiros, podendo ser acarretada também por diversos outros fatores sociais como a localização. As crianças são as mais afetadas por esse contexto, uma vez que a infância é o início da formação de um indivíduo enquanto cidadão, influenciando diretamente a personalidade e o desenvolvimento desses pequenos para o resto de suas vidas.

Segundo o ECA, um desenvolvimento saudável é aquele que dá direito à criança e ao adolescente à saúde, alimentação, educação e cultura, assim como direito ao esporte e lazer, profissionalização e à proteção no trabalho, direito à liberdade, ao respeito e à dignidade, além do direito à convivência familiar e comunitária.

No Brasil, ao menos 39,7% das crianças com idades entre 0 e 5 anos têm seus direitos violados. Entre os adolescentes de 14 a 17 anos essa porcentagem é ainda maior – 60% não tem seus direitos garantidos,  segundo um relatório da Unicef elaborado no fim de 2018.

Esses números estão relacionados com a pobreza e a extrema pobreza em que vivem e que, por afetarem muitas outras dimensões relacionadas ao bem estar, comprometem significativamente o desenvolvimento.

Entenda mais sobre pobreza multidimensional no artigo: “Pobreza multidimensional atinge 4,8 milhões de crianças no Brasil” 

Faça a diferença na vida dessas crianças e nos ajude a acabar com o ciclo da pobreza


Contribuindo com um valor mensal de R$ 67,00, você apadrinha e oferece a chance de fazer com que a criança transforme o seu próprio futuro. Este valor é somado a outras doações e permite a realização de projetos sociais e  atividades das quais a criança e sua família participam.

Padrinhos e madrinhas acompanham a vida das crianças por meio de cartas, telefonemas e até visitas supervisionadas. Informações sobre os apadrinhados e os resultados do trabalho do ChildFund Brasil são enviadas periodicamente através de boletins, e-mails e WhatsApp, além de um relatório anual que mostra o progresso individual de cada criança.

Conheça os projetos do ChildFund Brasil


O principal objetivo do ChildFund Brasil é dar condições para que crianças e adolescentes cresçam seguras, protegidas, saudáveis e com acesso à educação, uma parte essencial no processo que visa findar o ciclo da pobreza.

Eles participam de projetos que permeiam diversas áreas como educação financeira, água potável, empreendedorismo, cultura, proteção infantil, preparação para o mercado de trabalho, geração de renda, segurança alimentar, dentre outros. Tudo isso também é realizado com as famílias.

Desta maneira, é possível contribuir com o desenvolvimento individual, assim como dar melhores condições para toda a família e comunidade, contribuindo para o encerramento do ciclo da pobreza.

Os projetos são desenvolvidos e adaptados de acordo com a realidade local, através de um diagnóstico que leva em conta a faixa etária, aspectos econômicos, sociais e ambientais.

Alguns desses projetos são:

Brincando e Crescendo Feliz

Este projeto promove ações que contribuem para o desenvolvimento integral e o bem-estar na Primeira Infância (0 a 6 anos). O principal objetivo é trabalhar com os pais ou cuidadores sobre como proteger e cuidar melhor das crianças.

Adolescentes saudáveis e participativos


Este projeto é destinado para crianças e adolescentes de 7 a 14 anos. Ele estimula uma educação de qualidade e o fortalecimento da convivência com a família.

Habilidades para a Vida

Neste programa as crianças e adolescentes são estimulados a desenvolverem consciência crítica e cidadã.

Identidade e participação Cidadã
 

Neste projeto o foco está em jovens entre 15 e 24 anos. O intuito é contribuir para o fortalecimento da identidade pessoal e coletiva.

Qualificação pessoal e profissional


Neste projeto os jovens recebem apoio para que tenham boas condições de se inserirem no mercado de trabalho.

O ChildFund Brasil também desenvolve projetos para uma família e comunidade segura. Neste caso é proposto o desenvolvimento de ações coletivas visando o bem-estar de todas as crianças, adolescentes e jovens. Alguns dos projetos elaborados para este objetivo são:

Água pura para crianças


Uma parceria entre o ChildFund Brasil com a P&G atende nove municípios do Vale do Jequitinhonha. O objetivo é levar soluções para que possam consumir água potável e de qualidade. Para que o projeto aconteça, são distribuídos sachês de purificação que transformam água imprópria para o consumo em água potável.

Avicultura Doméstica


Este projeto é desenvolvido com as famílias e viabiliza a avicultura doméstica em suas casas para que tenha uma alimentação saudável e sustentável. Desta forma é possível garantir o desenvolvimento das crianças.

As iniciativas e as frentes de atuação são muitas, e você também pode contribuir para a mudança significativa na realidade das nossas crianças a adolescentes: apadrinhe! Saiba mais aqui. Sua atitude pode salvar vidas!

ChildFund Brasil

O ChildFund Brasil é uma organização de desenvolvimento social que por meio de uma sólida experiência na elaboração e no monitoramento de programas e projetos sociais mobiliza pessoas para a transformação de vidas. Crianças, adolescentes, jovens, famílias e comunidades em situação de risco social são apoiadas para que possam exercer com plenitude o direito à cidadania.

LEIA TAMBÉM