Impactos do apadrinhamento na saúde mental de crianças e adolescentes

O apadrinhamento pode contribuir de maneira muito positiva na saúde mental de crianças e adolescentes por promover o bem-estar psicológico e protegê-los de experiências adversas que, segundo a OPAS (Organização Pan-Americana de Saúde), podem afetar o potencial de prosperar, prejudicando inclusive a saúde física e mental na vida adulta.

De acordo com a organização, quanto mais as crianças e adolescentes são expostos aos fatores de risco como a pobreza, abuso ou violência, maior é o impacto na saúde mental, uma vez que mudanças físicas, emocionais e sociais os tornam mais vulneráveis.

Mas vai além disso: o apadrinhamento também permite que a criança se sinta mais amada, acolhida e segura. Neste artigo, vamos abordar como funciona essa relação padrinho e afilhado pelo ChildFund Brasil, mostrando que às vezes um simples gesto pode fazer toda a diferença. Mas, antes, vamos abordar um pouco da realidade de milhares de crianças brasileiras.

 

Pandemia agrava a situação no Brasil

 

No Brasil, a situação de crianças e adolescentes se agravou, particularmente, entre famílias mais pobres com a ocorrência da pandemia da Covid-19. A pesquisa Impactos Primários e Secundários da Covid-19 em Crianças e Adolescentes, do UNICEF, mostra que as famílias compostas por crianças e adolescentes sofrem mais os impactos econômicos e sociais da crise sanitária.

A redução de renda, insegurança alimentar e escolas fechadas terão impactos duradouros na vida de muitos meninos e meninas. Florence Bauer, representante do UNICEF no Brasil, reforça a importância de políticas públicas que apoiam famílias mais vulneráveis para diminuir os efeitos da pandemia. Segundo ela, se nada for feito, o Brasil corre o risco de ver a desigualdade social aumentar ainda mais, afetando, particularmente, as crianças e adolescentes.

Segundo a pesquisa, 61% dos entrevistados que residem com crianças ou adolescentes declararam que o rendimento no domicílio diminuiu desde o início da pandemia. Com isso, a insegurança alimentar se tornou uma preocupação ainda maior no Brasil, já que 8% dessas famílias afirmaram que os residentes mais novos no domicílio deixaram de comer por falta de dinheiro para a compra de alimentos.

 

Desafios afetam a saúde mental

 

A saúde mental de crianças e adolescentes, ou seja, a forma como reagem às exigências, desafios e mudanças da vida e ao modo como harmonizam suas ideias e emoções, foi extremamente afetada. Segundo a pesquisa, 54% das famílias relataram que algum adolescente do domicílio apresentou ao menos um sintoma relacionado à falta de saúde mental. Cerca de 27% dos respondentes relataram que adolescentes apresentaram insônia ou excesso de sono; 29% tiveram alteração no apetite e 28% disseram que os adolescentes tiveram diminuição no interesse em atividades rotineiras.

 

O apadrinhamento contribui para um futuro melhor

 

Em meio a este cenário tão preocupante, o apadrinhamento de uma criança significa contribuir para que ela tenha acesso a projetos sociais que irão apoiar o seu desenvolvimento, fazendo com que ela cresça mais segura e protegida.

Você contribui de maneira significativa com projetos que realizam mudanças de impacto na vida de uma criança e sua comunidade, ajudando a romper com um ciclo de vulnerabilidade social que dificilmente seria quebrado sem apoio! A pobreza e suas problemáticas, como dito mais acima, trazem impactos psicológicos reais. Ao romper com ela ou minimizar as suas problemáticas, esses impactos psicológicos também são contidos. E é essa uma das premissas do apadrinhamento!

Ao apadrinhar uma criança, você também pode participar de suas vidas através de cartas, telefonemas e visitas supervisionadas. Muitas crianças recebem cartas periodicamente de seus padrinhos e madrinhas, recebendo afeto, mensagens de incentivo e palavras de conforto que as ajudam a manterem-se firmes e confiantes em busca de um futuro melhor para si e sua família.

Ao participarem de projetos tão importantes, as crianças aprendem sobre diferentes temas, ganhando uma visão de protagonismo e empoderamento dentro de suas realidades – sentimentos essenciais para que um desenvolvimento real seja alcançado não apenas em suas próprias vidas, mas em toda a comunidade em que estão inseridas.

O nosso objetivo é dar condições para que as crianças e adolescentes atinjam seu pleno potencial de desenvolvimento por meio de projetos que permeiam diversas áreas e que são desenvolvidos e adaptados com a realidade local de cada criança. Isso é conseguido através de um diagnóstico que leva em conta a faixa etária, aspectos econômicos, sociais, políticos e ambientais.

No final de tudo, você contribuiu em todos os aspectos da vida da criança, incluindo a sua saúde mental a longo prazo.

Conheça os principais projetos desenvolvidos:

 

Primeira Infância Saudável e Protegida (0 – 6 anos)

 

Neste período, o objetivo é trabalhar com os pais ou cuidadores sobre como proteger e cuidar melhor das crianças por meio do projeto Brincando e Crescendo Feliz e Família Cuidadora. As ações contribuem para o desenvolvimento integral e bem-estar na Primeira Infância (0 a 6 anos)

 

Crianças e adolescentes saudáveis e confiantes (7 – 14 anos)

 

 Neste período, o foco é fortalecer vínculos entre crianças, adolescentes, jovens e adultos, promovendo a educação e a cultura da paz. A partir desta idade trabalhamos os projetos Adolescentes saudáveis e participativos, que estimulam uma educação de qualidade, o fortalecimento da convivência familiar e comunitária através de ações e Habilidades para Vida, que garante serviços socioassistenciais de saúde para crianças e adolescentes, além de estimular a consciência crítica e cidadã.

 

Jovens capacitados e participativos (15- 24 anos)

 

Fortalecer a identidade pessoal e coletiva para estimular uma juventude participativa é o objetivo dos projetos desenvolvidos para essa faixa etária. Ao conquistar o seu protagonismo na sociedade, o jovem se sente capacitado para sua inclusão no mercado de trabalho. Desta forma, são trabalhados os projetos: Identidade e participação Cidadã e Qualificação pessoal e profissional.

 

Família e comunidade Segura e protegida

 

O ChildFund Brasil também desenvolve projetos para uma família e comunidade seguras. Neste caso, é proposto o desenvolvimento de ações coletivas visando o bem-estar de todas as crianças, adolescentes e jovens. Alguns dos projetos elaborados para este objetivo são:

Água pura para crianças: Com a missão de levar soluções para que a comunidade possa consumir água potável e de qualidade, o ChildFund Brasil, em parceria com a P&G, atende nove municípios do Vale do Jequitinhonha distribuindo sachês de purificação, que transformam água imprópria para o consumo em água potável.

Avicultura Doméstica: Desenvolvido com as famílias, este projeto viabiliza a avicultura doméstica. Com uma alimentação saudável e sustentável é possível garantir o desenvolvimento das crianças.

 

Organizações parceiras

 

Importante destacar que a atuação do ChildFund Brasil acontece por meio de ações em conjunto com as Organizações Sociais Parceiras, que são organizações sociais locais, independentes, geridas pela própria comunidade.

Nós capacitamos suas equipes, financiamos e acompanhamos de perto a gestão dos programas e projetos. As organizações são responsáveis pelo acolhimento e prestação de suporte aos apadrinhados através das nossas tecnologias sociais.

Se você quer contribuir para a mudança das nossas crianças e adolescentes, realize o apadrinhamento. Saiba mais aqui. Sua atitude pode salvar vidas!

ChildFund Brasil

O ChildFund Brasil é uma organização de desenvolvimento social que por meio de uma sólida experiência na elaboração e no monitoramento de programas e projetos sociais mobiliza pessoas para a transformação de vidas. Crianças, adolescentes, jovens, famílias e comunidades em situação de risco social são apoiadas para que possam exercer com plenitude o direito à cidadania.

LEIA TAMBÉM